SOFTWARES DIAGRAMADORES — INDESIGN E QUARKXPRESS

POR ADRIANO RODRIGUES

Como já vimos, com a implantação do DTP — Desktop Publishing, a Adobe Systems tornou-se uma das pioneiras em computação gráfica para área impressa. Por isso, desenvolveu, comprou e tirou do mercado inúmeros softwares e, para entender esta importância, vamos analisar este assunto mais de perto. Um dos primeiros softwares de computação gráfica foi um software desenvolvido para fazer diagramação de livros, jornais, revistas etc, que foi o Aldus Pagemaker, programa esse criado pela Aldus Corporation.

O Aldus Pagemaker foi um sucesso no ramo de editoração eletrônica e logo caiu nas graças da Adobe. A Adobe se interessou pelo Aldus Pagemaker e comprou a empresa. Com isso, um dos maiores softwares de diagramação passou a ser conhecido e chamado de Adobe Pagemaker. A Aldus tinha em seu portfólio de produtos não apenas o Pagemaker, mas tinha também um poderoso software de desenhos digitais, o conhecido FreeHand. Com a compra da Aldus pela Adobe, o FreeHand passou a ser propriedade da Adobe que, em outra transação comercial, passou o FreeHand para outra fabricante de softwares, a Macromedia.

A Adobe usou o Pagemaker comercialmente por alguns anos e, em 1998, lançou o Adobe Indesign, trabalhando, assim, com os dois softwares diagramadores mais importantes do mercado concomitantemente (ambos agora da Adobe).

Em 2004, a Adobe decidiu descontinuar o Adobe Pagemaker, ficando apenas como o Adobe Indesign. Acreditamos que a estratégia em não permanecer com os dois dos melhores softwares ao mesmo tempo foi fazer o grande público do Pagemaker migrar, aos poucos, para o Adobe Indesign, já que o Pagemaker reinava no campo da editoração eletrônica.

A Macromedia continuava fabricando outros softwares importantes como o próprio FreeHand, o Flash (software para fazer animações em computador), o Dreamweaver (software para fazer sites) etc. Em 2005, a Adobe também compra a Macromedia e por ter seu próprio software de desenhos vetoriais, o famoso Illustrator, acaba descontinuando o FreeHand e fica com o Flash e o Dreamweaver dentre outros.

Não pense que a Adobe reinava sozinha no campo da editoração eletrônica, ela tinha e ainda tem (mas não com muito peso hoje) um grande concorrente, que é o poderoso programa QuarkXpress. O QuarkXpress foi de extrema importância para o mercado editorial, mas com o sucesso do Pagemaker e depois do Indesign, o QuarkXpress perdeu bastante público e mercado, apesar de ter sido um grande sucesso nas agências de publicidade na feitura de artes-finais.

Para fecharmos este assunto comercial, é importante salientar que as estratégias comerciais da Adobe não estão atreladas apenas à compra e à descontinuação de grandes softwares; outra grande estratégia é vender seus softwares em forma de pacotes, ou seja, a Adobe vende seus softwares avulsos, mas a venda de softwares em pacotes tornou-se, para o público final, mais prática e até mais econômica. A Adobe juntou em seus pacotes de programas os mais importantes softwares do mercado gráfico, de web e de vídeo.

Para resumimos esta pequena história comercial, hoje a Adobe é a empresa líder na comercialização de softwares para a área de produção de conteúdo para a comunicação, atuando em setores editoriais, de vídeos, de web etc.

Hoje em dia, o Indesign é um dos softwares líderes no campo da diagramação de revistas, jornais, livros etc. e, por isso, a Adobe aproveitou todo know-how e sucesso deste poderoso software a o adaptou para a produção de conteúdos digitais para tablets e smartphones. Com mais esta estratégia, a Adobe aproveitou também toda a experiência dos diagramadores que usam o Indesign para produzir conteúdos para as plataformas digitais.

Hoje, para se produzir publicação digital para tablets e smartphones, é necessário o uso de softwares diagramadores, como o Indesign e o QuarkXpress, por exemplo. Além dos softwares diagramadores, o diagramador precisa aprender a produzir conteúdos digitais por meio de plataformas. No caso da Adobe, a plataforma de publicação digital é a Adobe DPS – Digital Publishing Suite e no uso do QuarkXpress, a plataforma utilizada é Quark DesignPad.

Para quem vai produzir revistas digitais sem uso de plataforma, um dos softwares possíveis é o Adobe Dreamweaver, software muito utilizado na produção de páginas web. Já que a produção de publicações digitais se assemelha muito com a produção de conteúdos web, o Dreamweaver pode ser uma possibilidade, apesar de ser bem duro na produção fluída e volumosa que uma revista tem.

Rolar para cima