INTRODUÇÃO

POR ADRIANO RODRIGUES

   Nos­sa pes­qui­sa tem como obje­ti­vo inves­ti­gar o pro­ces­so de con­ver­gên­cia e pro­du­ção de um pro­tó­ti­po de revis­ta digi­tal onli­ne. Para isso, pas­se­a­re­mos por uma bre­ve intro­du­ção his­tó­ri­ca do meio revis­ta, bus­ca­re­mos enten­der o pro­ces­so de con­ver­gên­cia digi­tal, bus­ca­re­mos enten­der o cená­rio de publi­ca­ção digi­tal do meio revis­ta e pro­po­re­mos a cri­a­ção de um pro­tó­ti­po que pos­sa ser­vir de mode­lo para publi­ca­ção de revis­ta digi­tal onli­ne, depo­si­ta­das em ambi­en­tes digi­tais, em vári­os dis­po­si­ti­vos, ou seja, bus­ca­re­mos pro­por um mode­lo de publi­ca­ção de revis­ta digi­tal mul­ti­pla­ta­for­ma, depo­si­ta­da não ape­nas em tablets e smartpho­nes, mas tam­bém em com­pu­ta­do­res.

   O mer­ca­do de mídia edi­to­ri­al tem uma impor­tân­cia mui­to gran­de para os mei­os de comu­ni­ca­ção. Nes­te mer­ca­do, encon­tra­mos os jor­nais e as revis­tas, ambos são os ato­res prin­ci­pais des­te seg­men­to de mídia. Os jor­nais e revis­tas são mei­os de comu­ni­ca­ção con­so­li­da­dos há mui­to tem­po, são fon­tes for­tes e con­fiá­veis no con­su­mo de con­teú­dos, são rápi­dos e pro­fun­dos, são gené­ri­cos e espe­ci­a­li­za­dos, ou seja, a impor­tân­cia do mer­ca­do de comu­ni­ca­ção impres­sa é extre­ma­men­te rele­van­te para os lei­to­res, para as edi­to­ras e para a publi­ci­da­de.

   O rei­na­do da mídia impres­sa vem se adap­tan­do des­de 2010, quan­do pas­sou por um pro­ces­so de con­ver­gên­cia digi­tal gran­de e, em mui­tos casos, este pro­ces­so foi a fór­ceps. Com a intro­du­ção dos smartpho­nes e depois dos tablets, vimos a pos­si­bi­li­da­de de ter­mos revis­tas digi­tais bem adap­ta­das para estes dis­po­si­ti­vos. A ques­tão é que esta pos­si­bi­li­da­de não foi mui­to bem explo­ra­da pelas peque­nas e médi­as edi­to­ras. Dife­ren­te­men­te, as gran­des edi­to­ras pude­ram fazer pro­du­tos de qua­li­da­de, pois além de pode­rem com­prar pla­ta­for­mas que pudes­sem con­ver­gir a revis­ta impres­sa para o digi­tal com exce­lên­cia, pude­ram tam­bém trei­nar seus cola­bo­ra­do­res para uti­li­za­rem estas pla­ta­for­mas. Esta prá­ti­ca pro­pi­ci­ou às gran­des edi­to­ras terem um pro­du­to (a revis­ta) mui­to bem con­ver­gi­do, enquan­to mui­tas edi­to­ras de menor por­te bus­ca­vam outras alter­na­ti­vas que pudes­sem sanar este pro­ble­ma, o que resul­tou em pla­ta­for­mas, que vemos hoje no mer­ca­do, sem qua­li­da­de.

   Bus­ca­mos inves­ti­gar o pro­ces­so de con­ver­gên­cia digi­tal do meio revis­ta para pro­por um cami­nho de publi­ca­ção digi­tal onli­ne. Acre­di­ta­mos que este cami­nho pos­sa aju­dar as peque­nas, médi­as e até as gran­des edi­to­ras a pro­du­zir um mode­lo de revis­ta digi­tal que pos­sa con­tem­plar as carac­te­rís­ti­cas do meio revis­ta, fazen­do com que a mes­ma não per­ca sua iden­ti­da­de de fun­ção. O que nos impul­si­o­nou a pro­por esta pes­qui­sa é achar que os prin­ci­pais mode­los de pla­ta­for­ma que encon­tra­mos no mer­ca­do são caros, impos­si­bi­li­tan­do, assim, às peque­nas e médi­as edi­to­ras pro­du­zi­rem pro­du­tos de qua­li­da­de. Acre­di­ta­mos tam­bém que as pla­ta­for­mas de revis­tas digi­tais para tablets e smartpho­nes estão entre­gan­do um pro­du­to erra­do: o mode­lo implan­ta­do não entre­ga um pro­du­to que pos­sa ser difun­di­do pela rede mun­di­al de com­pu­ta­do­res – os con­teú­dos inse­ri­dos nes­tas pla­ta­for­mas ficam implan­ta­dos den­tro do sis­te­ma, repre­san­do a infor­ma­ção. Por achar­mos que os con­teú­dos digi­tais pre­ci­sam estar conec­ta­dos, acre­di­ta­mos que pode­mos pro­por um mode­lo que, além de con­tem­plar as carac­te­rís­ti­cas do meio revis­ta, pos­sa difun­dir as infor­ma­ções pelas redes conec­ta­das e pos­sam tam­bém aju­dar a via­bi­li­za­ção dos pro­ces­sos, além de poder gerar um pro­du­to mais bara­to para o lei­tor.

   O mer­ca­do de mídia impres­sa e digi­tal é extre­ma­men­te gran­de e rele­van­te para a eco­no­mia de um país. É um mer­ca­do que, no Bra­sil, movi­men­ta bilhões de reais e que tem sofri­do, nos últi­mos 5 (cin­co) anos, um pro­ces­so de con­ver­gên­cia, no qual a revis­ta pas­sou do seu esta­do impres­so para o digi­tal. O tema aqui abor­da­do é extre­ma­men­te rele­van­te, pois bus­ca­mos enten­der o pro­ces­so de con­ver­gên­cia da revis­ta impres­sa para a digi­tal, a fim de pro­por­mos um cami­nho alter­na­ti­vo, efi­ci­en­te e viá­vel ao gran­de mer­ca­do de mídia digi­tal, um mode­lo de revis­ta digi­tal onli­ne que pos­sa bara­te­ar o pro­ces­so, gerar mais negó­ci­os e ofe­re­cer um pro­du­to bem aca­ba­do para o lei­tor.

   O que pro­cu­ra­re­mos nes­ta pes­qui­sa é pro­por um cami­nho de pro­du­ção de revis­ta digi­tal sim­ples. O que que­re­mos aqui é rever um pro­ces­so de pro­du­ção de publi­ca­ção digi­tal na inter­net que já foi uti­li­za­do, mas não foi bem explo­ra­do. Não pro­po­mos nada iné­di­to, o que que­re­mos é refa­zer o cami­nho de pro­du­ção da revis­ta digi­tal onli­ne, para aju­dar a pavi­men­tar os bura­cos dei­xa­dos no cami­nho. O que que­re­mos é ali­nhar a pro­du­ção da revis­ta na inter­net com os mode­los de revis­tas digi­tais con­tem­po­râ­ne­os, fazen­do uma mes­cla inte­res­san­te para gerar­mos um pro­du­to final de qua­li­da­de.

   Para sim­pli­fi­car, o que que­re­mos nes­ta pes­qui­sa é enten­der como se deu o pro­ces­so de con­ver­gên­cia da revis­ta digi­tal, para che­gar­mos em um mode­lo de pro­du­ção de revis­ta digi­tal onli­ne. A pro­du­ção des­ta revis­ta será fei­ta via pla­ta­for­ma de pro­du­ção de sites. Assim, bus­ca­re­mos pre­ser­var as carac­te­rís­ti­cas do meio revis­ta sem dei­xar de explo­rar o meio digi­tal, pois pre­ten­de­mos que nos­sa revis­ta digi­tal seja conec­ta­da à inter­net, para que se tor­ne refe­rên­cia e tenha uma boa pre­sen­ça no mun­do conec­ta­do. Bus­ca­re­mos bara­te­ar todo o pro­ces­so para que inú­me­ras publi­ca­ções pos­sam ser inse­ri­das no mun­do da publi­ca­ção digi­tal e, por fim, pro­po­mos tam­bém que nos­sa publi­ca­ção seja mul­ti­pla­ta­for­ma. O que que­re­mos, por­tan­to, é desen­vol­ver uma revis­ta digi­tal onli­ne viá­vel e inte­res­san­te.

   Para sus­ten­tar nos­sa pes­qui­sa, nos apoi­a­re­mos em pes­qui­sa bibli­o­grá­fi­ca e em aná­li­ses crí­ti­cas dos mode­los já esta­be­le­ci­dos pelo mer­ca­do. Mos­tra­re­mos os vári­os cami­nhos que o meio revis­ta foi inse­ri­do e fare­mos uma bre­ve aná­li­se sobre os mes­mos. Para exem­pli­fi­car nos­sas aná­li­ses, usa­re­mos como refe­rên­cia a pla­ta­for­ma de publi­ca­ção digi­tal Ado­be DPSDigi­tal Publishing Sui­te. Esta esco­lha se jus­ti­fi­ca pela rele­vân­cia de tal pla­ta­for­ma para a pro­du­ção de revis­ta digi­tal, pois, como sabe­mos, a Ado­be DPS foi um dos pri­mei­ros mode­los a serem implan­ta­dos.

   Nos­sa pes­qui­sa bibli­o­grá­fi­ca é pau­ta­da em auto­res con­cei­tu­a­dos que abor­dam o tema da con­ver­gên­cia digi­tal e da tec­no­lo­gia digi­tal, entre outros. Veja­mos a seguir os prin­ci­pais livros e auto­res que uti­li­za­mos em nos­sa pes­qui­sa:

- A revis­ta e seu jor­na­lis­mo. B. TAVA­RES, Fre­de­ri­co de Mel­lo e SCHWA­AB, Reges. Ouro pre­to – MG: Pen­so, 2013.

   Nes­ta obra os auto­res fazem refle­xões sobre estu­dos e pro­du­ções da revis­ta, pas­san­do por ques­tões refle­xi­vas sobre suas pecu­li­a­ri­da­des;

- Cul­tu­ra da con­ver­gên­cia digi­tal. JEN­KINS, Henry; tra­du­ção Susa­na Ale­xan­dra – 2. Ed. – São Pau­lo: Aleph, 2009.

   Nes­te livro, Jen­kins faz um pano­ra­ma geral e atu­al sobre a cul­tu­ra da con­ver­gên­cia. Ele apon­ta os cami­nhos con­ver­gen­tes tri­lha­dos pelas mídi­as atu­ais.

- Design e comu­ni­ca­ção visu­al. MUNA­RI, Bru­no. São Pau­lo: Mar­tins Fon­tes, 1997

   Obra clás­si­ca da comu­ni­ca­ção visu­al. Este livro é resul­ta­do de 50 aulas que Muna­ri leci­o­nou na Uni­ver­si­da­de de Har­vard, nos Esta­dos Uni­dos em 1967. Este estu­do cria um manu­al de comu­ni­ca­ção visu­al no cam­po do design. Obra impor­tan­te para enten­der­mos as ques­tões pon­tu­ais da comu­ni­ca­ção visu­al;

- Revis­tas digi­tais para iPad e outros tablets – Arte-fina­li­za­ção, gera­ção e dis­tri­bui­ção. MINO­ROU, Horie e PLU­VI­NA­GE, Jean, São Pau­lo: Bytes & Types, 2012

   O livro aqui apre­sen­ta­do por Mino­rou e Plu­vi­na­ge expõe o pro­ces­so téc­ni­co de fei­tu­ra de uma revis­ta digi­tal para tablets, pas­san­do pela dia­gra­ma­ção em softwa­res, até sua dis­tri­bui­ção;

- Revis­tas Jor­na­lís­ti­cas para tablets – uma aná­li­se com­pa­ra­ti­va entre os mode­los con­ver­gen­tes e nati­vos digi­tais. SOU­ZA. Mar­ce­lo Frei­re Perei­ra de. Sal­va­dor, Bahia, 2013.

   Nes­ta tese de dou­to­ra­do, Sou­za faz uma aná­li­se com­ple­ta sobre a revis­ta digi­tal. Ele abor­da os pro­ces­sos de con­ver­gên­cia da mídia impres­sa para o digi­tal até a cri­a­ção de revis­tas nati­vas digi­tais;

- Teo­ria das mídi­as digi­tais: Lin­gua­gens, ambi­en­tes e redes. MAR­TI­NO, Luís Mau­ro Sá. Petró­po­lis, RJ: edit. Vozes, 2014.

   O belo tra­ba­lho apre­sen­ta­do por Mar­ti­no nes­te livro faz um levan­ta­men­to teó­ri­co extre­ma­men­te inte­res­san­te e enri­que­ce­dor. Mar­ti­no baseia-se em teo­ri­as apre­sen­ta­das por auto­res inter­na­ci­o­nais que apre­sen­tam seus estu­dos sobre o mun­do digi­tal;

- Tipo­gra­fia digi­tal: o impac­to das novas tec­no­lo­gi­as. 3 ed. FARI­AS, Pris­ci­la. Rio de Janei­ro: 2ab, 2001.

   A auto­ra, Pris­ci­la Fari­as, faz um bre­ve rela­to do impac­to das novas tec­no­lo­gi­as na tipo­gra­fia, mos­tran­do os cená­ri­os das tipo­gra­fi­as con­ven­ci­o­nais até seus for­ma­tos digi­tais;

   Nos­sa pes­qui­sa foi divi­di­da em três capí­tu­los. No pri­mei­ro capí­tu­lo, fize­mos um bre­ve pas­seio his­tó­ri­co sobre o meio revis­ta, mos­tra­mos suas carac­te­rís­ti­cas e impor­tân­cia. Pro­cu­ra­mos con­cei­tu­ar o meio revis­ta, fize­mos uma bre­ve aná­li­se do mer­ca­do, e um pas­seio pela evo­lu­ção da pro­du­ção grá­fi­ca impres­sa.

   No segun­do capí­tu­lo, fize­mos uma aná­li­se geral do pro­ces­so de con­ver­gên­cia da revis­ta impres­sa para o mode­lo digi­tal con­tem­po­râ­neo. Para isso, visi­ta­mos cada uma das eta­pas que levam à pro­du­ção de uma revis­ta digi­tal. Mos­tra­mos, de manei­ra ana­lí­ti­ca e deta­lha­da, como a pla­ta­for­ma Ado­be DPSDigi­tal Publishing Sui­te se esta­be­le­ceu no mer­ca­do de publi­ca­ção digi­tal. Vimos o que é o ecos­sis­te­ma da revis­ta digi­tal, mos­tra­mos o pro­ces­so de pro­du­ção da revis­ta digi­tal, os for­ma­tos de publi­ca­ções digi­tais, os softwa­res dia­gra­ma­do­res, a com­pu­ta­ção em nuvem e ban­ca digi­tal, a inte­ra­ti­vi­da­de que a revis­ta digi­tal pode ter etc.

   No ter­cei­ro e últi­mo capí­tu­lo rela­ta­mos como a revis­ta digi­tal onli­ne pode ser uma pos­si­bi­li­da­de inte­res­san­te na pro­du­ção de publi­ca­ções digi­tais. Nes­te capí­tu­lo, pro­cu­ra­mos mos­trar uma pos­si­bi­li­da­de de publi­ca­ção digi­tal que fugis­se do mode­lo esta­be­le­ci­do atu­al­men­te pelas gran­des empre­sas. Para sus­ten­tar nos­sos argu­men­tos, mos­tra­mos os vári­os tipos de publi­ca­ções digi­tais onli­ne que encon­tra­mos, res­sal­tan­do a impor­tân­cia do design para uma boa pro­du­ção de revis­ta digi­tal e, por últi­mo, mos­tra­mos, em algu­mas telas, as idei­as do pro­tó­ti­po que fize­mos da revis­ta Cás­per, publi­ca­ção da Facul­da­de Cás­per Líbe­ro.